Leia também
Adele venceu tudo o que podia vencer
Reuters

Grammy: Adele foi rainha na noite que lembrou Whitney Houston

13.02.2012 - Cláudia Carvalho
diminuiraumentar


A cerimónia da 54ª edição dos Grammy Awards, os prémios mais desejados da música, que aconteceu este domingo em Los Angeles, arrancou com uma oração em homenagem a Whitney Houston. Adele conquistou todos os galardões para os quais estava nomeada.

A morte de Whitney Houston foi um dos assuntos mais falados na passadeira vermelha, multiplicando-se os tributos e as mensagens elogiosas à cantora dos vários artistas presentes na cerimónia. Bruce Springsteen abriu a cerimónia e logo a seguir LL Cool J pediu aos presentes uma oração em memória de Whitney Houston, enquanto ao mesmo tempo foram mostrados os melhores momentos da cantora, ao som de "I Will Always Love You". "Como diz a música, todos nós vamos amar-te para sempre, Whitney", disse o músico.

Apontada como a grande favorita aos prémios, a britânica Adele confirmou todas as apostas ao ganhar tudo o que tinha para ganhar. Adele estava nomeada em seis categorias e conquistou as seis estatuetas. Foi a primeira a subir ao palco para receber o Grammy de Melhor Pop Solo Performance, pela música "Someone Like You". Ao receber o primeiro prémio, a cantora fez um agradecimento especial ao médico, "que me deu a minha voz de volta", disse. A cantora está de volta à música, depois de ter sido submetida a uma cirurgia nas cordas vocais. 

Depois disso, repetiram-se as subidas ao palco e as mensagens de agradecimento, que culminaram com o prémio máximo, o Álbum do Ano, com o recorde de vendas "21". Em lágrimas e com poucas palavras, Adele conseguiu apenas agradecer o galardão. "Rolling In The Deep” foi considerada a Música do Ano, Record Of The Year e venceu ainda o prémio de Melhor Vídeo. O galardão de Melhor Álbum Pop Vocal foi novamente para “21”. A actuação da britânica, que cantou "Rolling In the Deep", era um dos momentos mais esperados e conquistou um dos maiores aplausos da noite.

Kanye West, nomeado em sete categorias, venceu o Grammy de Melhor Álbum Rap com “My Beautiful Dark Twisted Fantasy”, e Melhor Colaboração Rap com “All of the Lights”, música que conta com a participação de Rihanna, Kid Cudi e Fergie, e que estava também nomeada na categoria de música do ano. O single "Otis", do álbum "Watch The Throne", a colaboração de West com Jay-Z, foi considerada a Melhor Rap Performance. Os dois músicos estiveram ausentes da cerimónia. 

Um dos grandes momentos da noite foi o desejado regresso aos palcos dos Beach Boys, recebidos em êxtase e com uma grande ovação de pé. Brian Wilson, Mike Love, Alk Jardine, Bruce Johnston e David Marks, que este ano comemoram 50 anos de carreira, actuaram na cerimónia, depois dos Maroon 5 e dos Foster The People terem tocado um tema cada da histórica banda.

O dueto entre Amy Winehouse e Tony Bennett, "Body and Soul", que chegou às lojas em Setembro, já depois da morte da cantora, conquistou o Grammy de Melhor Dueto/Grupo Performance. A canção, gravada em Londres em Março do ano passado, terá sido uma das últimas interpretadas em estúdio por Amy Winehouse. O dueto integrou o novo álbum de Bennett, “Duets II”, que conta ainda com a participação de nomes como Lady Gaga e Aretha Franklin, e que valeu ao cantor o Grammy de Melhor Álbum Pop Tradicional Vocal.

Nomeado pela primeira vez aos Grammys, Bon Iver, projecto musical do norte-americano Justin Vernon, conquistou o Grammy de Artista Revelação e ainda o troféu de Melhor Álbum Alternativo, com o seu segundo trabalho “Bon Iver, Bon Iver”, considerado um dos melhores álbuns de 2011. 

Ao receber a estatueta de Artista Revelação, Bon Iver disse sentir-se numa situação muito desconfortável. "Há tanto talento aqui no palco e tanto talento que não está aqui. É uma honra", disse, deixando um agradecimento não só aos pais, familiares e amigos, como também a "todos os nomeados e não nomeados".

Os Foo Fighters, que ao lado de Adele e Bruno Mars se incluiam na lista dos mais nomeados com seis indicações cada, conquistaram quatro galardões, incluindo os prémios de Melhor Álbum Rock com “Wasting Light” e Melhor Performance Hard Rock/Metal. A banda liderada por Dave Grohl venceu ainda nas categorias de Melhor Música Rock, com “Walk”, e Melhor Vídeo, com “Back And Forth”. 

Na categoria de R&B, o Grammy de Melhor Álbum foi entregue a Chris Brown, por "F.A.M.E.". Cee Lo Gree venceu dois galardões nas categorias de Melhor Performance R&B Tradicional e Melhor Música, ambos com "Fool For You".

No country, a jovem Taylor Swift voltou a ser a grande vencedora, ao conquistar os Grammys de Melhor Solo Performance com o música "Mean", também considerada a Melhor Música Country. O galardão de Melhor Álbum foi entregue aos Lady Antebellum por "Own The Night".

Já perto do fim da cerimónia houve um momento de homenagem a todos os talentos que a indústria da música perdeu entre 2011 e o princípio de 2012. No ecrã gigante do Staples Center passaram as fotografias de artistas como Amy Winehouse, Steve Jobs, Facundo Cabral, Clarence Clemons, Johnny Ottis e Jerry Leiber. Por fim, Whitney Houston, na voz de Jennifer Hudson. Emocionada, Hudson deu voz a "I Will Always Love You" e terminou a música com um "We Will Always Love You", provando que o mundo da música jamais esquecerá a cantora.

O ex-Beatle Paul Mccartney encerrou a cerimónia com uma estonteante actuação. A lista completa dos nomeados e vencedores pode ser consultada aqui.

A edição deste ano já foi afectada com as alterações anunciadas pela The Recording Academy que reduziram o número de categorias de 109 para 78. Com esta reformulação as categorias que distinguiam os artistas femininos e masculinos nos diferentes géneros musicais (pop, R&B, rock e country) desaparecem, concorrendo todos os artistas, em cada área, a uma única categoria, agora chamada de “Solo Performance”. No geral, todas as áreas perderam cerca de duas categorias, tendo muitas delas sido reagrupadas em apenas uma.

Homenagem a Whitney Houston

Actuação de Adele